arrowenvelopefacebookinstagramlinked-intwitteryelpyoutube

Como os resultados locais de busca do Google prejudicam os consumidores e por que a União Europeia agiu

Para mais informações, visite focusontheuser.eu

A Comissão Europeia anunciou que o Google quebrou as regras contra monopólios ao manipular os resultados de pesquisa em favor dos seus próprios serviços de busca. Em uma decisão histórica, o órgão da União Europeia de aplicação da legislação antitruste penalizou o Google com uma multa recorde de €2.42 bilhões (R$8.93 bilhões) e os deu um prazo de 90 dias para acabar com a discriminação contra os serviços rivais. Nós admiramos a dedicação da Comissão Europeia a esse problema e o esforço para restaurar a competição em buscas online para o benefício dos consumidores.

O Google pediu que as práticas anticompetitivas fossem interrompidas

O Google foi considerado culpado de participar em uma conduta ilegal com o objetivo de promover os seus serviços de busca vertical. Embora a decisão se refira à comparação de serviços de compras, a Comissão Europeia também reconheceu o mesmo comportamento ileal em relação a outros verticais, como o de busca local. Dessa maneira, foi determinado que o Google terá de parar de abusar da sua máquina de busca dominante para dar vantagens aos seus próprios produtos especializados de busca. Uma ordem similar tem o potencial de neutralizar o dano que o Google causou em buscas online e de efetivamente abordar as preocupações anticompetitivas sobre busca local.

Por que a busca local é importante

Busca local é um dos comportamentos humanos mais importantes na internet. Ela é a ligação entre pesquisa online e comércio offline. Buscas locais – pessoas procurando por um pediatra em São Paulo, um hotel em Curitiba ou um restaurante japonês em Fortaleza – incluem a maior categoria única de busca, representando aproximadamente um terço do total do volume de buscas vindo do desktop, e mais de metade do volume de buscas de smartphones. Entre os padrões no iOS Safari o Chrome nos Androids, o Google possui 98% da quota do mercado em smartphones.

A Comissão Europeia investigou o Google por sete anos depois de várias reclamações de companhias europeias e estadunidenses, assim como grupos de consumidores. O Yelp é um dos reclamantes nesse caso e nós temos falado com as autoridades da União Europeia, fornecendo evidência dos danos aos consumidores no mercado de buscas locais.

Impacto da aplicação nos Estados Unidos

As descobertas da Comissão fornecerem um modelo para as autoridades de aplicação nos Estados Unidos. Em 2013, a Comissão Federal do Comércio terminou a sua investigação sobre a tendenciosidade nas pesquisas do Google. Entretanto, a análise fornecida pelas autoridades da União Europeia, assim como a evidência abundante de danos aos consumidores, devem ser suficientes para forçar a Comissão a tomar providências para proteger os consumidores estadunidenses contra a manipulação em buscas.

Como a tendenciosidade do Google prejudica os consumidores

A equipe de Ciências de Dados do Yelp, juntamente com o professor da Faculdade de Direito de Columbia Tim Wu e com o economista da Faculdade de Negócios de Harvard Michael Luca, publicou um trabalho de pesquisa que reexaminou  se o Google piorou os resultados de pesquisa e o impacto dessa prática nos consumidores. Os autores do estudo encontraram que a tendenciosidade das pesquisas do Google realmente afeta os consumidores. De acordo com o estudo, usuários estão muito menos propensos a interagir com as “caixas de respostas” do Google quando elas só mostram conteúdo de avaliação local exclusivo ao Google.

Mais demora em abolir as práticas anti-competitivas do Google nos Estados Unidos pode causar um dano irreversível à competitividade do mercado de busca e consumidores. Os criadores das políticas nos Estados Unidos devem ver a decisão da União Europeia como um apelo à tomada de medidas. O bem-estar dos consumidores precisa estar igualmente protegido dos dois lados do Atlântico.